“Mais Um Sem Dor” é destaque em curso que propôs reflexões sobre diversidade no Direito do Trabalho

Capacitação é uma iniciativa do Tribunal Superior do Trabalho

Ocorreu anteontem e ontem (24 e 25/06) a 4ª aula do curso “Letramento em Diversidade: (re)pensando o Direito do Trabalho a partir dos Territórios”, idealizado pelo Tribunal Superior do Trabalho e realizado na sede do Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região (TRT 18) e na unidade do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) da Vila Canaã. Durante a capacitação, o projeto de empregabilidade “Mais Um Sem Dor”, coordenado pelo Ministério Público do Trabalho em Goiás (MPT-GO), foi um dos destaques da programação.

O tema da 4ª aula foi “O que o direito do trabalho tem a aprender com as pessoas travestis e transexuais?”. De acordo com os idealizadores do curso, o objetivo foi pensar o Direito do Trabalho a partir da perspectiva da diversidade, com o intuito de trazer novas visões de mundo aos participantes a partir da narrativa de experiências e de diálogos com atores sociais que vivenciam os mais diversos territórios políticos.

“O curso foi uma oportunidade ímpar para magistrados e servidores da Justiça do Trabalho perceberem a realidade de grupos invisibilizados a partir de vivências reais, para que isso seja levado em conta ao julgarem processos que envolvam temas como discriminação, racismo, LGBTfobia, transfobia”, afirma Tiago Ranieri, que apresentou o projeto “Mais Um Sem Dor” aos presentes.

“O ‘Mais Um Sem Dor’ ultrapassou as fronteiras do nosso estado. Tivemos essa clara noção a partir do que ministros do TST e magistrados de diversos TRTs nos disseram durante o curso. E também por ele ter sido escolhido pelo TST como referência em qualificação e empregabilidade para pessoas em situação de vulnerabilidade socioeconômica”, explicou.

Quarto encontro

O “Letramento em Diversidade” contou com as presenças de servidores e ministros do TST (Cláudio Brandão e Delaíde Arantes); magistrados e servidores tanto do TRT 18, quanto de outros TRTs; da Procuradoria-Geral do Trabalho (subprocurador-geral do Trabalho Fábio Cardoso); e do MPT-GO, pelo seu procurador-chefe, Alpiniano Lopes. Esta 4ª aula foi a primeira que ocorreu fora da sede do órgão, em Brasília. O tema da primeira aula foi “O que o Direito aprendeu com as ruas?”. Já a segunda e a terceira foram sobre povos indígenas.

A programação contou com rodas de conversa com pessoas trans e travestis que se qualificaram nos cursos ofertados pelo projeto “Mais Um Sem Dor”; oficinas com os temas “pessoas migrantes e raça” e “identidade de gênero e orientação sexual”, ambas ministradas por alunos que se formaram no projeto; apresentação do “Mais Um Sem Dor”; o reconhecimento, por meio da entrega do selo “Empresa Amiga da Diversidade” a 15 empresas que contrataram pessoas que se qualificaram nos cursos oferecidos pelo projeto.

“Mais Um Sem Dor”

O “Mais Um Sem Dor” é um projeto de empregabilidade que desde 2018 vem promovendo formação humana, qualificação profissional e encaminhamento ao mercado formal de trabalho de pessoas em vulnerabilidade socioeconômica (pessoas em situação de rua, trans, travestis, mulheres negras, imigrantes, refugiados, quilombolas, mulheres que estão cumprindo pena em regime fechado, entre outros).

O projeto nasceu da união de esforços do MPT-GO e do TRT 18, com apoio da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (FIEG) e do Sistema Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), sendo este o responsável por ministrar os cursos ofertados aos participantes da iniciativa. É custeado por destinações feitas pelos dois órgãos, as quais têm origem em reparações financeiras pagas por empresas que desrespeitam a legislação trabalhista.

Já foram 22 cidades goianas atendidas e cerca de 2,5 mil pessoas qualificadas diretamente, além de outras 10 mil de forma indireta. Cerca de 70 empresas parceiras já contrataram e continuam contratando pessoas qualificadas pelo projeto.

Vale lembrar que a capacitação e a inserção do público em situação de vulnerabilidade no mercado de trabalho formal concretizam seis dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável estipulados pela Agenda 2030 da ONU (Organização das Nações Unidas): ODS1, ODS4, ODS5, ODS8, ODS10 e ODS16, bem como de três objetivos descritos no Pacto Global ONU Rede Brasil Empresas (Raça é Prioridade; Elas Lideram 2030; e Salário Digno).

 

Clique aqui para acessar as fotos do curso. Crédito: Coordenadoria de Comunicação/TRT 18

 

 

Imprimir